Time: 2:58

Com o adolescente, os policiais encontraram grande quantidade de drogas, um rádiotransmissor e quantia em dinheiro. Foto: Colaboração/Anderson JustinoUm menor de 16 anos foi capturado na manhã desta segunda-feira (27) pela Polícia Militar durante uma operação contra o tráfico de entorpecentes na comunidade da Jaqueira, no bairro Porto Novo, em São Gonçalo.

 

De acordo com a PM, com o jovem - que é suspeito de participar do tráfico de drogas daquela localidade - foram encontrados 103 pinos de cocaína, 189 trouxinhas de maconha e um radiotransmissor.

Durante a operação realizada pela Polícia Militar, não houve registro de troca de tiros entre agentes e traficantes. O menor e todo o material apreendido com ele foram encontrados em um terreno baldio localizado em um dos acessos à comunidade.

 

O caso foi registrado pelos agentes na 73ª DP (Neves).


O FLUMINENSE

Menores suspeitos de tráfico de drogas na Favela da Galinha foram apreendidos. Foto: Douglas MacedoPoliciais do GAT (Grupamento de Ações Táticas) do 12º BPM (Niterói) apreenderam no início da noite desta segunda-feira, dois menores de 15 e 16 anos, suspeitos de participarem do tráfico de drogas na comunidade conhecida como Favela da Galinha, no Largo da Batalha. Segundo os agentes, durante operação na comunidade, a dupla foi pega com 272 trouxinhas de maconha, 594 pinos de cocaína, um rádio transmissor e uma quantia de R$ 9 em espécie.

 

De acordo com a polícia, ao verem a viatura, os menores ainda tentaram fugir, mas foram pegos em um campo de futebol, próximo ao cemitério Parque da Colina. Não houve registro de troca de tiros no local. Ainda de acordo com os agentes, um dos menores já teria três passagens por roubo e associação ao tráfico. O caso foi encaminhado para a 77ª DP (Icaraí).

 

Outro menor de 15 anos também foi apreendido por policiais da 5ª CIA (Morro do Cavalão), por volta das 19h30 de hoje. Segundo testemunhas, o acusado, que estava com uma arma de brinquedo, usava uma bicicleta roubada e se aproximou de dois jovens, próximo ao colégio Salesianos, em Santa Rosa, pedindo o celular de um deles.

 

“Ele chegou perto e na hora não percebi. Atravessei a rua e depois meu amigo veio dizendo que ele havia sido assaltado”, conta um amigo da vítima.

 

Após o roubo, o menor ainda tentou fugir entrando em um mercado causando tumulto no estabelecimento, mas foi alcançado e apreendido pelos agentes. O caso foi registrado na 77ª DP (Icaraí).


O FLUMINENSE

Direção da escola foi procurada, mas não havia ninguém para comentar o caso no local. Foto: Colaboração Anderson JustinoUma escola municipal suspendeu as aulas e uma particular colocou os pais dos alunos sob alerta na manhã desta segunda-feira (27), em São Gonçalo, por conta de uma ameaça de retaliação, após quatro suspeitos de tráfico no Morro do Querosene, no Mutuá, terem sido baleados e presos. Durante a operação do 7º BPM na comunidade, houve trocas de tiros e quatro homens foram baleados e levados sob custódia para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê. Dois não resistiram ais ferimentos e morreram na unidade.

 

Segundo a direção do Centro Educacional Vieira Brum, situado à rua Oswaldo Pimentel, no bairro Antonina, um homem em uma motocicleta, que aparentemente não estava armado, passou no entorno da escola e avisou para suspender as aulas, informando que haveria um confronto entre o Morro da Chumbada e o Morro da Cruz.

 

Por conta da ameaça, a direção da escola alertou aos pais dos alunos, que foram ao colégio para pegar seus filhos. Entretanto, como não houve confirmação sobre o caso, a unidade está em funcionamento.

Já a Escola Municipal Luiz Gonzaga, localizada entre os bairros São Miguel e Bairro Antonina, teve as aulas suspensas. De acordo com um cartaz afixado no portão da unidade de ensino, a escola foi fechada por motivo de segurança, não havendo aula para nenhum dos três turnos. A direção do colégio foi procurada, mas não havia ninguém no local. O colégio fica próximo do Morro da Chumbada e o do Morro da Cruz.

 

Na operação foram apreendidas armas e uma quantidade ainda não contabilizada de drogas. Segundo a polícia, o estado de saúde dos dois suspeitos sobreviventes é estável e eles continuam internados sob custódia da Justiça. Ainda de acordo com a PM, foram feitas rondas nos bairros onde ficam as duas unidades de ensino, não sendo constatadas movimentações suspeitas nos locais.


O Fluminense

Vítimas foram atendidas por agentes da Policlínica Regional do Largo da Batalha, ainda em frente ao supermercado. Foto do leitor

Homens armados de pistolas ocupando um carro preto, de modelo não anotado por testemunhas, fizeram vários disparos no começo da tarde desta segunda-feria contra pedestres que passavam pela Avenida Wasgthinon Luiz, no Largo da Batalha, em Pendotiba, na Região Oceânica de Niterói. O comerciante Leonardo Moreira Ferreira, de 34 anos, foi atingido no peito e morreu horas depois, quando era atendido no Hospital Estadual Azevedo Lima ( Heal) no Fonseca, em Niterói, para onde foi levado.

 

 

A outra vítima dos disparos dos criminosos, uma idosa de 70 anos, foi atingida no quadril e permanece internada no Hospital Estadual Alberto Torres (Heat) no Colubandê, em São Gonçalo, onde deu entrada na na parte da tarde.

 

 

As investigações estão sendo realizadas por agentes da Divisão de Homicídios (DH) de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, informaram policiais da 79ª DP (Jurujuba), que responde pela área onde ocorreu o crime.

 

 

Os policiais evitaram divulgar detalhes do caso para não prejudicar as investigações.

 

 

Testemunhas contaram que os atiradores não se preocuparam com quem estava nas calçadas ou em frente de um supermercado. Os disparos, segundo elas, foram feitos em direção ao comerciante.

 

Um dos tiros atingiu o peito de Leonardo, próximo ao coração.

 

 

Ainda segundo testemunhas, médicos da Policlínica Regional do Largo da Batalha prestaram os primeiros socorros ao baleado, ainda no local, antes que fosse removido para o pronto-socorro.

 

 

A idosa, também segundo testemunhas, foi socorrida por outra equipe da mesma unidade de saúde e levada consciente para o hospital do Colubandê. Segundo informações da Secretaria Estadual de Saúde, o estado de saúde dela é estável. A mulher não corre risco de morte.

 

 

Policiais militares do Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) do Largo da Batalha, lotados no 12º BPM (Niterói), fizeram incursões ao fim da tarde em várias comunidades da região, inclusive no Sapê, onde a vítima morava, para tentar localizar os autores dos disparos.

 

 

A polícia informou que o comerciante havia se mudado recentemente para o Sapê, para próximo de parentes, depois de residir por pelo menos três anos em Maria Paula, onde era proprietário de um bar que foi vendido há menos de um mês.

 

 

O filho único do comerciante, um menor de 17 anos, chegou ao local do crime antes da ambulância e tentou ajudar a reanimar o pai.

 

 

Segundo moradores da região, a incidência de crimes tem aumentado recentemente. Eles pedem mais policiamento.

 


O Fluminense

GUARDA E PM SE UNEM EM NITERÓI

A Polícia Militar e Prefeitura de Niterói inauguram, neste fim de semana, um projeto piloto para aumentar o policiamento em Icaraí, na Zona Sul. Desde esta sexta-feira, as cabines da PM, antes inutilizadas, vão voltar a funcionar 24 horas com contingente da Guarda Municipal. Para resolver o problema da falta de mobilidade dos agentes baseados nessa unidade, uma viatura estará disponível com um comunicação direta.


“Como essa parceria, vamos estar mais presentes na rua. Primeiro é um piloto, mas a intenção é estender. A reativação das cabinas significa ter novamente a referência para a população. Como quem fica baseado acaba não podendo deixar o local, teremos uma viatura disponível, com link direto, ou seja, sem precisar passar pela sala de operações. Isso vai dar mais agilidade em caso de necessidade”, explica o coronel Gilson Chagas, comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM).


As cabines caíram em desuso sob o argumento de aumentar o contingente circulando pelas ruas, mas, ao mesmo tempo, o equipamento inutilizado alimentava sensação de ausência do estado. Foi uma das opção do coronel Chagas, segundo ele, para melhorar o policiamento.


“É uma questão de preferência. Com uma dupla de policiais, eu tenho uma viatura na rua, rodando, com maior poder de ação. Uma cabine pede a mesma quantidade de agentes, mas eles ficam estáticos. Para mim, policiamento é dinâmico. Antes, eram apenas uma referência para a população. A ação dos policiais era extremamente limitada”, conclui.

A Tribuna

Com dois tiros de pistola, um deles disparado à queima-roupa, nas costas, lado esquerdo, o funcionário da Viação Pendotiba (linha 46), identificado pela policia como Leandro Moura da Silva, de 35 anos, foi assassinado no começo da madrugada deste sábado quando seguia para trabalhar. O crime aconteceu a poucos metros da sede do Batalhão de Policiamento Rodoviário ( BPRv) e próximo do Instituto Médico Legal ( IML), ambos no bairro de Tribobó, em São Gonçalo.

 

Peritos constataram que a vítima sofreu hemorragia interna, devido a gravidade do ferimento. O caso será investigado pela Divisão de Homicídios de Niterói, Itaborai, São Gonçalo.

 

Agentes da DH conseguiram recolher informações com testemunhas do crime, que teria ocorrido por volta de 5h, horário que o cobrador de passagens teria saído de casa, segundo testemunhas.

Ele morava na localidade de Alacomba, no bairro de Tribobó, em São Gonçalo, com familiares. Segundo informações preliminares, homens armados teriam abordado a vítima e seguido com a mesma de carro até um trecho deserto da Rodovia Amaral Peixoto, quase em frente ao BPRv e executado Leandro Moura. Os assassinos não levaram nada de valor.

 

O único tiro que matou Leandro atingiu o peito da vítima, segundo perícia realizada no local e na vítima.

 

Revoltados, familiares exigiram justiça e a prisão dos assassinos.

 

“ Meu irmão era um cidadão de bem, não tinha envolvimento com nada de ruim. Agora, deixa mulher e uma filha de três anos, sozinhas “ disse o irmão da vítima, que se identificou apenas como Leonardo.

O enterro de Leandro foi marcado para este sábado no Cemiterio de São Miguel, em São Gonçalo, em horário não divulgado pelos familiares.


O Fluminense

UERJ DE SG SUSPENDE AULAS POR GREVE E INSEGURANÇA

Uma paralisação dos professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), em São Gonçalo, marcada para ontem acabou se estendendo para hoje, devido à insegurança que toma conta do Campus do Patronato. A decisão de suspender as atividades foi tomada em em assembleia convocada pela Associação dos Docentes da Uerj (Asduerj), na última terça-feira, no Maracanã, Rio. Mas as aulas encerradas sob tiros que teriam sido disparados da favela do Feijão, no Paraíso, na quarta-feira, forçaram atitude mais drástica.


“Ninguém está em paz na universidade. O professor não sabe dá aula ou vigia a janela, com medo de que aconteça algo. Os alunos idem. A ordem é de avaliar diariamente a situação e depois dos tiros de quarta-feira optamos por retomar as atividades somente na segunda-feira (27)”, explica o Manoel Santana, diretor da Faculdade de Formação de Professores (FFP/Uerj).
De surpresa


O campus de São Gonçalo que tem mais de 2.500 alunos circulando diariamente, ontem, estava deserto. Apesar de a universidade emitir comunicados, houve quem foi pego de surpresa. Thiago da Silva, de 26, aluno do sétimo período de licenciatura em História esperava assistir às aulas normalmente.


“Participo de diversos grupos da faculdade, mas não fiquei sabendo. Amanhã (hoje) eu também teria aula, mas pelo menos já estou avisado e vou ficar em casa”.

A reivindicação


Segundo representantes da Asduerj, entre as reivindicações estão o reajuste salarial de 6% e pagamento do adicional de dedicação exclusiva para aposentadoria dos professores. Também protestam contra o veto do governador Luiz Fernando Pezão à emenda na Lei de Diretrizes Orçamentárias. A emenda destinaria 6% da receita tributária líquida do estado para instituições de ensino superior estaduais a partir de 2015.


Na pauta interna, os professores criticam um conjunto de medidas da reitoria, entre elas a discriminação entre professores assistentes e auxiliares. A reitoria sugere para os assistentes, com carga semanal de 40 horas, o máximo de dez horas de pesquisas, enquanto os auxiliares não terão nenhuma. Também propuseram a redução para, no máximo, oito horas da carga de pesquisa para professores adjuntos, associados e titulares com 20 ou 30 horas. Além disso, a reitoria anunciou novos critérios para o Banco de Produção Científica, não pontuando as práticas de orientação de monografia, monitoria e estágio.

A Tribuna

Uma médica do quadro do Hospital Municipal Conde Modesto Leal, no Centro de Maricá, vai responder criminalmente a processo por tentativa de homicídio e omissão de socorro, ao atropelar na manhã de ontem um vigilante da unidade, durante um “ataque de fúria” no estacionamento do hospital. A vítima, identificada como Luís Eduardo Simão Barroso, de 33 anos, sofreu várias escoriações e foi medicado no local.


De acordo com registro na 82ª DP (Maricá), na manhã de ontem a médica chegou na unidade conduzindo seu carro e foi informada pelo vigilante que não havia vaga no estacionamento do hospital. O local estava demarcado com cones e a médica insistiu para estacionar no local. Quem também insistiu foi o vigilante, que passou argumentar com a médica que não havia vaga para ela estacionar. Como a agressora manteve sua posição, o vigilante ainda tentou impedi-la entrando na frente do carro, mas a médica acelerou, atingido e arremessado o vigilante a certa distância.


Com várias escoriações, a vítima foi socorrida por populares e ficou algum tempo desacordada antes de ser medicada no próprio hospital. Além de não ajudar a socorrer o vigilante, polícia foi informada que a médica ainda chegou a fazer o seguinte comentário olhando para a vítima desacordada: “Não adianta ficar fingindo não”. Policiais da 82ª DP informaram que a médica vai responder a processo por tentativa de homicídio e omissão de socorro.

A Cedae inaugurou nesta quinta-feira (23) as obras de implantação do sistema de abastecimento de água dos distritos de Inoã e Itaipuaçu, em Maricá. Orçadas em cerca de R$ 70 milhões, as obras beneficiam diretamente cerca de 47 mil habitantes e incluem a construção de dois reservatórios, adutora, redes distribuidoras e um booster (conjunto de bombas que regula a pressão na rede). A obra, que vai triplicar a vazão atual, reforça o abastecimento da região no entorno do Comperj.


O empreendimento integra o Programa Água para Todos do governo do Estado e é fruto de parceria entre os governos estadual, através da Cedae, e federal, no âmbito do PAC. Com a implantação da primeira fase do empreendimento será iniciado o trabalho de topografia para o projeto da segunda fase, incorporando novos logradouros com redes ainda não implantadas.


O projeto incluiu a construção do Reservatório Inoã, com capacidade de armazenar 2 milhões de litros de água; o Reservatório de Itaipuaçu, com capacidade de 4 milhões de litros; uma adutora de água tratada com cerca de 10 quilômetros de extensão e diâmetros variando entre 200 milímetros e 600 milímetros; tronco distribuidor com cerca de sete quilômetros de extensão e diâmetros entre 300 milímetros e 400 milímetros e a construção do sistema de bombeio booster Ipiíba, com três conjuntos motor-bomba.


“Além disso, também foi construída a rede distribuidora de Inoã, com 43 quilômetros de extensão e diâmetros entre 50 milímetros e 400 milímetros; a rede distribuidora de Itaipuaçu, com 159 quilômetros de extensão e diâmetros entre 50 milímetros e 500 milímetros, e foram executadas 11.300 ligações domiciliares: 4 mil em Inoã e 7.300 em Itaipuaçu”, disse o presidente da Cedae, Wagner Victer.

Delegada Tatiene Damaris foi encontrada morta em casa, na Zona Oste do Rio de JaneiroA delegada da Polícia Civil do Rio de Janeiro Tatiene Damaris foi assassinada no início da tarde desta quinta-feira pelo marido, após um desentendimento na casa onde viviam, no bairro de Realengo, Zona Oeste da cidade. Logo que o corpo foi encontrado por policiais, com marcas de agressão, levantou-se a suspeita de que ela poderia ter sido executada em função do trabalho que chegou a desenvolver no combate às milícias. O marido, identificado como Alessandro Oliveira Furtado, entretanto, foi levado para a sede da Divisão de Homicídios (DH) já como suspeito, pois apresentava arranhões que caracterizavam sinal de luta. À noite, ele confessou o crime e foi autuado por homicídio.

O assassino ainda teria tentado simular uma outra motivação, criando a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte), mas as perícias iniciais indicam que a delegada foi morta por asfixia mecânica, por esganadura, com ação contundente no rosto, especificamente no nariz e na boca, provavelmente em virtude de socos desferidos pelo marido.

Tatiene foi encontrada na cozinha da casa, que não apresentava qualquer sinal de arrombamento. Policial desde 2005, quando começou a carreira como papiloscopista, a vítima tornou-se delegada em 2008 e passou por três delegacias da Zona Oeste, onde chegou a fazer investigações contra milícias. Ela era a delegada-assistente em Santa Cruz..

Veja.com

Pagina 1 de 339
Dados colhidos a partir de 17/10/2011