Time: 11:55
Polícia

Polícia (1862)

Após roubarem dois carros e um posto de gasolina, no início da madrugada desta quinta-feira (6), dois menores, um de 16 e outro de 17 anos, foram apreendidos, além de um maior que foi preso por policiais militares lotados na Companhia Destacada de Pendotiba, em Niterói. Os bandidos começaram a ação criminosa em Icaraí e foram presos na Região Oceânica. Um revólver calibre 38 também foi apreendido com um dos menores. Durante a ação, os criminosos ainda abordaram uma mãe que estava com o bebê dentro de um carro que foi roubado em Camboinhas.

 

A Polícia Militar foi acionada e perseguiu o bando, que colidiu em uma árvore na altura da Vila Progresso. Não houve troca de tiros.

 

De acordo com a polícia, o grupo saiu da comunidade Vila Ipiranga, no Fonseca, e cometeram o primeiro delito em Icaraí, ao roubarem um Fiat, modelo Palio, na entrada do túnel de que liga o bairro à São Francisco. Em seguida, o bando seguiu para a Estrada Francisco da Cruz Nunes, em Piratininga, onde assaltaram um posto de combustível.

 

Em depoimento na delegacia, um dos acusados, Rudson Luiz Xavier, de 22 anos, afirmou que eles queriam “levantar um dinheiro”.

 

Não satisfeitos com o desempenho do primeiro roubo em Icaraí, o grupo resolveu roubar outro veículo. Na entrada do trevo de Camboinhas, um Honda Fit, dirigido por uma mulher, que estava com o filho, virou alvo do bando. Parte do grupo tomou o veículo deixando as vítimas para atrás, e passaram a seguir com dois carros roubados.

 

Ainda de acordo com a polícia, a PM foi acionada logo após o roubo do posto e montaram um cerco para capturar os bandidos, mas quando os acusados perceberam a estratégia, tentaram fugir entrando na Rua Nelson Rodrigues Oliveira, na Vila Progresso, onde o grupo que estava no Honda acabou colidindo em uma árvore.

 

A outra parte do bando que estava no Palio, conseguiu fugir.

 

Apesar do caso ter sido registrado na 77ª DP (Icaraí), a investigação está sob responsabilidade da 79ª DP (Jurujuba).


O Fluminense

O carnaval de Niterói teve 44 casos de roubo a pedestres e 11 registros de roubo a veículos. O balanço foi passado ontem pelo comandante do 12º BPM (Niterói), Gilson Chagas, que apesar dos números, considerou que a cidade teve um período festivo tranquilo.

 

“Nenhum caso de tiroteio, feridos ou confusão em locais onde os blocos e bailes de carnaval aconteceram foi detectado”, disse o comandante, que para garantir a segurança do folião colocou nas ruas da cidade 300 homens, entre sexta-feira e Quarta-feira de Cinzas.

 

“Nesse período tivemos três pessoas presas e três adolescentes apreendidos com carros roubados na Ilha da Conceição e em Pendotiba. Os carros foram recuperados e as pessoas levadas para a delegacia e não houve necessidade de troca de tiros”, disse o comandante.

 

Os adolescentes, de 16 e 17 anos, foram apreendidos com um revólver calibre 38 e um Polo roubado na tarde de quarta-feira, na Estrada Caetano Monteiro. Os menores foram perseguidos e alcançados após bateram com o carro em um Saveiro parado na via.


O FLUMINENSE

Três jovens foram executados - entre eles um adolescente de apenas 13 anos - no último dia de Carnaval e na Quarta-feira de Cinzas, em São Gonçalo e Niterói.

 

Na madrugada de ontem, um menor, de 17 anos, foi atingido por vários disparos, próximo à Praça de Santa Luzia, onde várias pessoas participavam de uma festa.

 

Desesperados, familiares ainda socorreram o rapaz, que foi encaminhado ao Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê. A vítima, no entanto, não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade.

Durante a madrugada, o corpo de outro adolescente, de 13, foi encontrado com marcas de tiros na Travessa Magnólia Brasil, um dos acessos ao Morro do Juca Branco, no Fonseca, Zona Norte de Niterói.

Na tarde de ontem, outro jovem, identificado por familiares como Jaime dos Reis Alves, 22, foi assassinado com vários tiros na Estrada Raul Veiga, no Bandeirantes, em frente à praça do bairro.

 

Segundo testemunhas, Jaime passava pela via, por volta das 16h, quando dois homens numa motocicleta passaram pelo local e efetuaram os disparos contra a vítima, que morreu na calçada de uma lanchonete. A irmã do rapaz esteve no local do crime e se desesperou ao vê-lo morto.

 

“É meu irmão? Ele morreu? Por favor, alguém chama uma ambulância”, repetia aos prantos.

 

Os três casos serão investigados por agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí.


O São Gonçalo

Um homem, ainda não identificado, foi encontrado morto na noite desta quarta-feira de cinzas (5), no bairro do Fonseca, em Niterói, dentro do porta-malas de um carro. A vítima estava no banco traseiro de uma Peugeot 206, que foi abandonado na Travessa Dona Julia, próximo do morro do Boa Vista, por volta das 23h da noite.

Segundo policiais militares do 12º BPM (Niterói), eles foram chamados junto com o Corpo de Bombeiros para verificarem um carro em chamas abandonado na via. Assim que chegaram ao local o veículo ainda estava pegando fogo e os bombeiros apagaram as chamas, onde o corpo foi localizado.


O Fluminense

A Polícia Civil autuou, por lesão corporal, o dono de um trailer que agrediu e amarrou um jovem de 16 anos a um poste hoje (5), na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, depois de flagrar o adolescente tentando furtar o estabelecimento comercial.

 

O jovem foi encontrado e desamarrado por policiais militares que passavam pelo local. Depois, foi levado a um hospital para receber atendimento médico e, em seguida, encaminhado para a Delegacia de Campo Grande, junto com o dono do trailer.

 

O adolescente foi autuado pelo cometimento de infração análoga ao crime de tentativa de furto. Já o dono do trailer, após a autuação por lesão corporal, assinou termo circunstanciado. O caso será encaminhado ao Juizado Especial Criminal.


Agência Brasil

O corpo de um homem negro, com cerca de 25 anos, foi encontrado, na manhã de ontem, na Rua Alberto Sampaio, no bairro do Boassu, em São Gonçalo. O corpo, vestido apenas com calça jeans e cinto branco listrado, estava com sinais de espancamento e 13 tiros de armas de diversos calibres espalhadas pelo tronco, braços e pernas da vítima.

 

Segundo moradores da região, por volta das 10h de ontem, um veículo passou pela rua e o corpo do homem foi jogado na esquina da via. “Essa rua fica às margens da BR-101 e eles desceram pelo desvio, jogaram o corpo e voltaram para a BR”, contou um dos moradores, que não quis se identificar.

 

Policiais da Delegacia de Homicídios, que estiveram no local da desova, vão investigar se o homem morto é o mesmo retirado de dentro do ônibus em ação de criminosos no Complexo do Salgueiro, também na manhã de ontem.

 

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Tribobó, em São Gonçalo, onde aguarda reconhecimento.


O São Gonçalo

O número de assassinatos no Rio cresceu de 16,7% de 2012 para 2013, de acordo com o estudo Incidências Criminais e Administrativas da Segurança do Estado do Rio de Janeiro, divulgadas hoje (27) pelo Instituto de Segurança Pública (ISP).

 

Os registros de assassinatos passaram de 4.081 para 4.761. Os casos de homicídio decorrente de intervenção policial apresentaram redução de 0,7% no ano passado, ao cair de 419 em 2012 para 416 em 2013. Os estupros também caíram (-2,5%) e chegaram a 5.926 em 2013.

 

Os casos de latrocínio, o roubo seguido de morte, cresceram 2,8% (142 para 146) e os de lesão corporal seguida de morte aumento de 17 casos em 2013, com 41 registros. Segundo o estudo, a apreensão de crianças e adolescentes sofreu aumento de 43,2% em 2013 em relação a 2012. Subiu de 5.042 para 7.222 apreensões.

 

Houve também aumento no número de mandados de prisão (7,6%) e de prisões (21,4%) que chegaram a 29.810 em 2013. A pesquisa apontou crescimento de 28% na apreensão de drogas e de 10% de armas recolhidas pela Polícia. O número de furtos caiu 4,4% em 2013 na comparação com o ano imediatamente anterior.


Agência Rio

Um criminoso que assaltou um taxista conseguiu escapar de um policial que passava na hora pela Rua Dr. March, no Barreto, no início da tarde desta sexta-feira (28). Na fuga, o bandido entrou num condomínio. De acordo com a Polícia Militar, o fugitivo estaria usando uma arma de brinquedo para assaltar. Apesar do policial ter efetuado dois disparos de alerta, o bandido não parou de correr até entrar no condomínio.

 

“Ele abandonou os pertences na garagem e se dirigiu à área dos apartamentos. Fizemos rondas nos corredores e locais abertos. Porém, não pudemos entrar em nenhuma das unidades”, explicou um dos policiais militares.

 

Muitos moradores do condomínio não sabiam o que estava acontecendo. Quando chegavam na entrada, viam a viatura e ficavam assustados.

 

“O que está acontecendo aqui?”, perguntou um senhora que saiu de casa ao passar pela portaria.

 

Funcionários do local foram orientados a não comentar o assunto, para não assustar os demais condôminos. O caso foi registrado na 78º DP (Fonseca).

 

Sem conseguir localizar o suspeito, a polícia deixou o prédio no fim da tarde. Acredita-se que ele tenha fugido pulando o muro dos fundos.

 

O bandido, segundo a PM, já possui duas passagens, uma por formação de quadrilha e outra por porte ilegal de arma. Todas as ocorrências seriam da área da 74ª DP (SG).

 

Segundo testemunhas o assaltante já teria cometido outros crimes similares contra assaltantes na área.


O Fluminense

O clima de medo entre os moradores de Niterói tomou proporções ainda maiores, ontem à noite, depois que uma denúncia de que traficantes do Complexo do Caramujo estariam orquestrando ataques a prédios de instituições das policiais Civil e Militar. A informação, recebida pela Ouvidoria da Polícia, levou os agentes a reforçar a segurança no entorno dos principais alvos dos bandidos, entre eles a 78ª DP (Fonseca), que foi cercada pela Coordenadoria de Operações Especiais (Core).

 

Os ataques, conforme documentos que circularam nas redes sociais, seriam em represália às mortes que ocorreram na última quarta-feira, quando criminosos foram surpreendidos por uma ação planejada da Polícia Civil no Largo da Batalha.

 

Na ocasião, seis homens foram mortos e dois deles, segundo o documento, teriam envolvimento no assassinato do sargento Joilson da Silva Gomes, 40, executado a caminho de casa no último domingo, com pelo menos 50 tiros.

 

O documento alertava que os alvos seriam o Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) do Caramujo, 77ªDP (Icaraí) e a 78ª DP (Fonseca), que receberam reforço no policiamento.

 

Gê Gatinho - Um dos integrantes do bando que pretendia assaltar o carro forte, Jerônimo de Rezende Teixeira, o Gê Gatinho, 30, apontado pela polícia como chefe do tráfico do Complexo do Viradouro e da Favela da Grota, foi transferido ontem do Hospital Quinta D’or, em São Cristóvão, para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, na Zona Norte do Rio.

 

Gê Gatinho deu entrada no Quinta D’or após ser baleado durante a tentativa de roubo ao carro-forte. Ele foi internado com documento falso, mas teve a identidade descoberta por papiloscopistas do Instituto Felix Pacheco (IFP). Contra ele havia dois mandados de prisão, um por homicídio e outro por roubo.

 

A polícia vai investigar com que dinheiro a conta do Hospital Quinta D’or, que teria totalizado R$ 100 mil, foi paga.

 

Os mortos no tiroteio no Largo da Batalha foram identificados como Roberto Ferreira Vieira, o Robertinho do Jacaré, 39, Herlon Domingos da Silva, 41, Itamar de Assis Coelho, o Tamar do Caramujo, e Marcelo Roberto da Conceição, o Marreco, da Favela Novo México, em São Gonçalo.

 

Marreco e Tamar estavam sendo investigados pela Delegacia de Homicídios por envolvimento na tentativa de resgate do traficante Lindomar de Oliveira Brant, o Dodô, 38, em junho do ano passado.


O São Gonçalo

Rio - A Polícia Civil vai investigar a origem do dinheiro que serviu para custear as despesas médicas do traficante Jerônimo de Rezende Teixeira, o Jê Gatinho, 30 anos, no Hospital Quinta D’Or, em São Cristóvão — há a informação de que o tratamento do baleado custou cerca de R$ 100 mil.

 

Jê Gatinho é apontado por agentes como o chefe do tráfico no Morro do Viradouro, em Santa Rosa, Niterói, e foi ferido durante emboscada preparada por policiais num ataque de criminosos a carro-forte, quarta-feira, na mesma cidade. Na ação, seis suspeitos foram mortos, e outro acabou preso.


Segundo policiais civis, a despesa teria sido paga pela mulher do suspeito, que está grávida e seria estagiária do Tribunal de Justiça. A assessoria de imprensa do Hospital Quinta D’Or declarou que não podia fornecer informações sobre pacientes e que a questão deveria ser apurada com a polícia. O traficante foi transferido para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, onde está sob custódia, escoltado por policiais do 3º BPM (Méier).

 

Atingido por quatro tiros no peito, que foram amortecidos pelo colete à prova de balas que usava, o acusado procurou atendimento médico no Quinta D’Or, após ser baleado durante tentativa de roubo a um carro-forte no bairro Sapê.

 

Documento falso
Internado com documento falso, ele teve a identidade descoberta por papiloscopistas do Instituto Félix Pacheco (IFP) através das impressões digitais. Contra ele já havia dois mandados de prisão pendentes — um por roubo e outro por homicídio.

 

O roubo do carro-forte foi impedido por agentes da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), que substituíram vigilantes após investigação da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) em parceria com a Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública, que detectou a intenção criminosa.

 

Durante a abordagem, de armas em punho, os criminosos reagiram à voz de prisão e iniciaram o confronto. Na troca de tiros, seis suspeitos morreram.


O Dia

Pagina 37 de 133
Dados colhidos a partir de 17/10/2011